Operação da UTE Lorm será reduzida

A partir de fevereiro, geração de energia térmica será menor

Nos últimos meses, com o início das chuvas, houve melhora nas condições hidrológicas do país. Este cenário gerou expectativas sobre o aumento da geração de energia por hidrelétricas e, por isso, algumas termelétricas com custo mais alto foram desligadas.

No caso da UTE Lorm, operada pela Linhares Geração, até este mês, a usina continua em funcionamento normal, mas a partir de fevereiro, a geração de energia será reduzida, conforme determinação do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE).

Em um novo cenário de crise hídrica, as térmicas que utilizam gás natural liquefeito (GNL), como a UTE Lorm, são as primeiras a serem religadas, já que esta é a fonte de energia mais limpa entre os combustíveis fósseis, além de ser inodora, atóxica e mais barata. No entanto, são necessários até 60 dias para que a BR Distribuidora/Petrobras disponibilize o gás a ser utilizado pela usina para gerar energia.

No Brasil, cerca de 7% da energia consumida vem do gás natural. No mundo, de acordo com a Agência Internacional de Energia, esse valor corresponde a aproximadamente 15%.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Este site não coleta cookies e usa dados pessoais de acordo com o nosso Aviso de Privacidade . Para mais informações, consulte AQUI. Ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.